Momentos são ... iguais aqueles ...
  

Quando mentes ...

Quando mentes ...

Já não me importo quando mentes para mim, pois não preciso das tuas palavras para saber verdades acerca de ti. Já não sou eu quem te conhece; é minha alma que conhece a tua e alma não tem como esconder algo de outra alma, principalmente quando caminham juntas por tanto tempo. Amo-te pelo que és e não pelo que me contas sobre ti. Este é o verdadeiro amor e não aquele que sentem as que te amam pelo que pensam que tu és. Elas nada sabem de ti, apenas confiam em tuas palavras ( e isto, ainda não considerastes...).

Não, não mais me importo com tuas mentiras. Apenas, ainda me incomoda um pouco, pensar que podes acreditar que acredito nelas...



Categoria: De dentro de mim
Escrito por Sueli às 19h22
[] [envie esta mensagem] []


 
  

O Medo

 

                                                                            (Carmo Soá)

 

Alguém me disse:

 

“Até para deixarmos de sofrer é preciso vencer um medo: o medo de deixar de sofrer.

Sim, porque deixar de sofrer implica em renúncias e responsabilidades.”

 

Pensem nisso!



Escrito por Sueli às 23h26
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Mudar de idéia ...

“Triste não é mudar de idéia.

  Triste é não ter idéia para mudar.”

  (Francis Bacon)

 

Tive uma educação muito rígida. Papai, um homem austero, conservador e inflexível, passou-me lições brilhantes, mas, ao mesmo tempo, exagerou um pouco na dose. Com o decorrer dos anos, fui descobrindo que a realidade é bem diferente de muitas coisas que me ensinaram. Aprendi que ao tomar uma decisão, esta não poderia ser mudada, pois, caso contrário, eu estaria demonstrando falta de personalidade. Foi difícil encarar que a coisa não é bem assim, aliás, não é nada assim. Tomo decisões baseadas nas minhas idéias e estas mudam dependendo do meu estado de espírito e das situações externas que se apresentam.

Como não cheguei neste mundo apenas para vegetar e dele sair sem nada ter aprendido, como posso desejar que minhas idéias sejam iguais em todos os dias de minha vida? Não, papai, o senhor não sabia que esta sua informação não era correta. Posso e dou-me o direito de mudar de idéia e voltar atrás em minhas decisões, tantas vezes quantas sentir vontade e não me sentir mal com isso, desde que essas decisões não envolvam terceiros, é óbvio. Falo das decisões que se refiram à minha própria pessoa.

Sempre é tempo de reconhecer um passo errado, dar meia volta e começar tudo de novo, por outro caminho. Sempre é tempo de não mais dar importância a alguma voz de outrora que eu tenha ouvido, e obedecido. Sempre é tempo de reconhecer que a pessoa que mais me machucava era a que mais me ensinava lições necessárias e passar a respeitá-la ao invés de ficar magoada. Sempre é tempo de não mais dar tanta importância a doces palavras que nada me acrescentavam...

... sem contar as coisas bem mais simples, como por exemplo: já odiei berinjela, hoje gosto muito. Já adorei música sertaneja, hoje detesto. Já detestei jazz, hoje adoro. Já gostei muito da boemia, hoje não troco o aconchego de minha cama por ela. Já acreditei que rezando, Deus ajuda, por isso, já rezei muito, mas hoje tenho certeza que a ajuda que ele poderia dar, já deu quando me enviou para cá e pronto (sei que esta afirmação pode dar muito pano para a manga, mas, perdoem-me, é a minha opinião). Já mudei tanto de opinião e de gosto, que, talvez, este “eu” que esteja aqui já não tenha mais a mesma personalidade mesmo, mas posso garantir que, graças à coragem de se abrir para novos conhecimentos e, muitas vezes, aceitá-los, é uma pessoa bem melhor do que já foi no passado.



Categoria: De dentro de mim
Escrito por Sueli às 20h46
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Medalha de Ouro

Medalha de Ouro

 

Pisei na Avenida Paulista, pela primeira vez, quando eu tinha sete anos de idade. Lembro-me muito bem (afinal, não faz tanto tempo assim ...rs). Estava com minha avó e procurávamos a única loja que vendia a tiara de cabelo que eu deveria usar na apresentação do balé naquela semana. Fiquei encantada com a Avenida, tão diferente de todas as ruas de meu bairro. A segunda vez que estive na Avenida Paulista, eu já estava com 15 anos. O departamento de Recursos Humanos da primeira empresa na qual trabalhei ficava ali e precisei ir para assinar meu contrato. Olhei para ela e disse a mim mesma: - um dia ainda trabalharei nesta avenida.

 

Pois bem, já há mais de dez anos meu sonho foi realizado; trabalho na avenida que tanto gosto e nela existe de tudo, menos rotina. De minha janela, já presenciei tantos acontecimentos... Passeatas, protestos, acidentes, queima de fogos, quebra-quebra, gravações de novela, etc. E eu, claro, sempre fotografando tudo (tenho mania de fotógrafa).

 

Mas hoje, estou aqui para dividir com vocês, algo que fotografei ontem. Para muitos, pode não ser nada tão importante, mas sou uma brasileira muito fanática e ter tido a chance de fotografar o único ganhador de uma medalha de ouro das Olimpíadas de Pequim, até o momento, foi motivo de muita alegria. Sei que César Cielo nunca saberá que numa janela do 17º andar de um prédio qualquer da Avenida Paulista, quando por ali ele passava, havia alguém aplaudindo, dando gritinhos e vibrando por ele, com os olhos marejados de lágrimas - pura emoção!  Sei também que não passa de uma simples e singela homenagem, mas aqui vai:

 

 

 

Parabéns, Cielo!  Sei que não foi fácil e imagino o esforço que fez para chegar onde chegou. Você não é apenas um ótimo nadador. Você é o melhor do mundo!!!  Você colocou nossa Pátria lá em cima e permitiu que o mundo todo, pelo menos uma vez, ouvisse nosso Hino, diante da vitória máxima. Por ser brasileira (e fanática), tenho muito orgulho de você!



Categoria: De dentro de mim
Escrito por Sueli às 19h28
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Criatividade

Criatividade

 

Vou contar abaixo, um caso que presenciei outro dia, entre minha neta (Gigi) e meu sobrinho (Joãozinho), ambos com cinco anos de idade. Gigi, por força das circunstâncias, vai à escola desde que era um bebê, não sei se esta é a razão, mas é uma criança muito inteligente e esperta, acima da média, eu diria. Meu sobrinho, além de ainda não haver freqüentado uma escola, tem alguns problemas de dicção. Minha nora faz questão de ensinar a sua filha a forma mais correta de pronunciar as palavras. Vive aplicando exercícios, como por exemplo, falar bem depressa:

“um prato de trigo para um tigre, dois pratos de trigo para dois tigres, três pratos de trigo para três tigres ...” (vocês se lembram disso? ...Eu,  até para escrever,  errei ...rs).

Pois bem, estávamos todos juntos numa tarde destas e minha nora pediu para Gigi  repetir a frase acima bem depressa. Eu não queria acreditar, haja vista que nem eu consigo fazer isto, mas a danadinha conseguiu falar sem um errinho sequer.  Em seguida, pediu para Joãozinho. Como ele é muito tímido, pensei que nem fosse aceitar o desafio, mas, mesmo gaguejando começou a repetir e, claro, bem devagar, mas quando chegou no terceiro tigre, eis que não conseguia terminar a frase. Não deu outra:

“ ... um plato de tligo pala tleis... tleis.... tleis leão.”

Bem, nem preciso dizer quantas gargalhadas (com admiração) Joãozinho arrancou de todos nós. Como ficamos impressionados, principalmente, com a “criatividade” desse menino. E acrescento: criatividade pode ser tão importante quanto esperteza, cultura ou, quem sabe, sabedoria.  Só não sei dizer se já nascemos com ela ou se podemos aprender a ser criativos em algum lugar. Bem, se alguém souber onde se aprende a ser criativo, por favor, passem-me o endereço.



Categoria: De dentro de mim
Escrito por Sueli às 22h12
[] [envie esta mensagem] []


 
  

"Demonices"

“Demonices”

 

 

 

Que direito tinha você de se vestir de anjo,

tirar-me do inferno,

levar-me para conhecer o céu e, depois ...

...trazer-me de volta?

 

Eu já havia me esquecido como era enxergar estrelas ...



Categoria: De dentro de mim
Escrito por Sueli às 13h22
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Eu não poderia deixar passar em branco ...

 

 

Hoje está de aniversário minha “filhamigamada”!

É uma singela homenagem, uma necessidade de dizer aqui neste espaço que tanto amo, que a cada dia que passa aumenta muito minha admiração por Claudinha. Hoje estou certa de  que não foi por acaso que fui escolhida para ser sua mãe. Tínhamos muito a aprender uma com a outra. Já se foi meu tempo de ensinar. Hoje estou no tempo de aprender. E tenho aprendido muito com ela (a danadinha até já me dá algumas broncas – merecidas, por sinal...rs).

 

Filha, não é nesta vida que conseguirá medir o tamanho do meu amor por você, por mais que eu o declare.

Mas hoje, vim aqui especialmente para lhe dizer:

 

FELIZ ANIVERSÁRIO ... pedacinho de mim!

TODA FELICIDADE DO MUNDO para você, minha filha-amiga-amada!!!

 

Mamãe



Escrito por Sueli às 20h17
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Sobre tentativas

Sobre tentativas

 

 

 

Mesmo tentando até não mais poder, mesmo tentando até quase morrer, mesmo tentando até ter certeza absoluta de que não vou conseguir ... mesmo assim, eu tento. Quando eu quero, quando quero de verdade, eu tento. Quando amo, quando amo de verdade, eu tento. Paciência é o que não me falta. Não desisto até gastar a última das últimas gotas do meu suor. Tento até perceber que minha tentativa está se transformando em luta. Quando vejo que estou lutando, eu paro. Paro porque acredito piamente que, quando for preciso lutar para conseguir algo ou alguém, é porque esse algo ou alguém nunca haverá de ser meu. Não, pelo menos, da forma como haveria de ser. Poderá até parecer que é, mas sempre o será em formato de ilusão, e, com toda certeza, carregando muito sofrimento. Talvez até seja o sofrimento pelo qual eu precise passar para aprender. Mas, para aprender justamente que não devo lutar por algo ou alguém e muito menos competir com algo ou alguém para conseguir, pois o que é meu, já vem meu. Chega redondinho. E se já sei disso, então não luto. Paro discretamente, sem lágrimas, sem arrependimentos, sem balbúrdia, sem palavras, sem um ruído qualquer. Paro até sem explicações ou sem nem mesmo dizer um simples "adeus".

 

Eu sou assim.

 

Sueli



Categoria: De dentro de mim
Escrito por Sueli às 19h39
[] [envie esta mensagem] []


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, Portuguese, English, Livros, Música, Filmes


HISTÓRICO


CATEGORIAS
Todas as mensagens
 Buscando no Baú
 Jóias de outros autores
 De dentro de mim



OUTROS SITES
 Cada momento ... (meu)
 Fotoblog da "Su" (meu)
 Reminiscências (meu)
 Bar da Ruiva - Ana Luiza
 Meu Porto - Miriam
 Sei que pode ser ... - Amanda
 Não sou feita de pelúcia - Maeh
 Até onde vai - Brena
 Abrindo janelas - Saramar
 Falares - Poemas de Saramar
 Blog do Clodet - Maria Claudete
 Caminhos percorridos - Patrícia
 Crepúsculo dos Deuses - Val
 Vila Aconchego - Liebe
 My Cat Blog - Juju
 Mundo de Handrik - Handrik
 SOHLETRAS - Marinho
 Bosque del Alma - Bett
 Chá com Livros - Gina
 Espancando Teclado - Shibuya
 Blog da LadyKell
 Tudo de Mim - Esmênia
 Impressões da Aurélia
 Cantinho da Sandra
 PULSAR em Prosa e Verso - Sonia
 Feminino Plural
 Pão e Circo - Tiago
 Compactando letras - Rosângela
 Neste Instante - Kiara
 Digo tudo - Livia
 Jornal da Lua - Bill
 Solidão de Alma - Sonia
 Eu por mim mesma ... - Kall
 Instantes - Élcio
 Nada é por acaso - Maria Borges
 NimbyPolis - Nilson
 Meus melhores momentos - Cláudia Patrícia
 Meu Sonho - Mel
 Terapia da Palavra - Maria Rachel
 Rascunhos, Retratos e Contemplações - Antonio Xavier
 Reluz - Regina
 Cadinho Roco
 Olhar Indiscreto - Collybry
 Hilarius 1968 - Maristela
 Asa Comunicação - Adriana
 A velha a fiar - Sandra
 Diários, sonhos, pensamentos, notícias - Anne Graziele
 Plano alto - O'Sangi
 Segredos do Coração - Ilka
 Chamando sua atenção - Eliana
 Tudo que eu sinto - Cris
 Pensamentos que a vida traz - Cláudia Patrícia
 EU, NO ORKUT
 Mundo de Juliana












VOTAÇÃO
 Dê uma nota para meu blog!